sábado, 5 de setembro de 2009

Olhos d’alma

Minhas janelas estão abertas
Através delas vejo um fundo azul,
algumas manchas brancas
e um V desenhado
Que se mexeu e foi embora.
Tento adivinhar o que as manchas significam
Mas, como a minha imaginação teima em falhar
Contento-me com a brisa que entra
E com o som de um vento desconhecido que ecoa.

E após as cortinas cerrarem
E as janelas se fecharem
Poderei finalmente dormir em paz
Porque a alma [verdadeiro eu] também cansa.

05/09/09
Mayra Lima






"Sou a sombra do que fui ontem, e o rascunho do que serei amanhã." (M.L.)

P.S.: Estou inspirada ultimamente ;D

3 comentários:

  1. frase legal...


    >>a 'alma' poderia ser o sol escondido no fundo azul ou o v desenhado?

    pessoa#

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. simples e profundo como o canto dos passaros q anunciam a aurora e o calor do sol q aquece e alimenta a vida q o orvalho refresca....

    Adorei! é profundo como outras poesias...

    ResponderExcluir

Vozes...

Related Posts with Thumbnails